Ex-feirante, lateral Felipe Jonathan sai da base para a posição de titular no Ceará
20/09/2018 13:28 em Esporte

Através dos pés vários sonhos se constroem. Alguns ficam apenas no desejo. O caminho até chegar no tão sonhado “lugar ao sol” muitas vezes não é fácil. No caso do nosso personagem, o lateral-esquerdo do Ceará Felipe Jonathan, o caminho foi de muitos percalços. Desde os oito anos de idade o desejo de ajudar a família já era a grande motivação para seguir em frente, contou o jogador em entrevista ao Tribuna do Ceará.

Vender frutas, verduras, legumes na feira do Bom Jardim, bairro que o atleta nasceu e cresceu, foi a primeira atividade para auxiliar a família e contribuir para o bem estar familiar.

Aliado a isso frequentava a escolinha do Fortaleza para continuar se aperfeiçoando dentro das quatro linhas. Ele foi levado para o Tricolor pelo avô que faleceu há pouco menos de três meses.

Os problemas pessoais de um dirigente do Tricolor fizeram com que o jogador, em 2014, fosse para o time rival, com a ajuda do ex-jogador Assisinho. “Ele não gostava de mim, teve problemas com a minha família e o Assisinho,que eu já conhecia do Fortaleza, disse para eu fazer o teste no Ceará, e deu certo”, relembra.

Apesar de mais um desafio conquistado, as coisas ainda eram difíceis na casa de Felipe. Sempre obediente aos pais, o então garoto resolver ajudar a família agora nas madrugadas de Fortaleza. O horário incomum é porque a mãe do jogador começou a vender roupas na Feira da Sé, na Avenida José Avelino, na Capital.

“Dos 14 anos até por volta dos 17/18 anos eu ia com minha mãe vender as roupas e tentava conciliar com os horários do futebol aqui no Ceará”, afirma.

“Desde os oito anos de idade eu ia para a feira do Bom Jardim para ajudar a minha família. Depois começamos a vender roupas na Feira da Sé onde fiquei até subir para o futebol profissional”

Sem reclamar, o garoto aos poucos conquistava o espaço dentro do Alvinegro. Até que veio a chance de ir para o profissional e desta forma, a feira teria que ficar apenas na sua lembrança. “Quando eu subi para o profissional do Ceará não tive como mais ir para as feiras, pois tinha que descansar, chegar bem e conseguir me dedicar ainda mais dentro de campo”, ressaltou.

Voos mais altos

Felipe acabou de conquistar um espaço e de lutar para seguir como titular do Ceará, e imagina um futuro dentro do futebol. “Com certeza sonho em vestir a camisa da Seleção Brasileira e seguir os passos do meu amigo Éverton (jogador cearense que está no Grêmio e foi convocado recentemente para os dois amistosos do Brasil)”, projeta o jogador.

Garoto caseiro 

Namorando há quatro anos, Felipe Jonathan tem um rotina tranquila e sem grandes agitações. Como ele mesmo disse, desde sempre o pai foi preocupado com o futuro do garoto e usava isso com rigidez, mas também com amor.

“Acabei ficando sempre em casa e curtindo a minha família e também minha namorada. Venho para os treinos, vou para casa ou para minha namorada e pronto. Quando tenho folga vou para algum restaurante, algo bem tranquilo”, revela.

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!